ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA O MUNICÍPIO DE SANTA MARIA-RS RESULTANTES DOS INGRESSOS DE RECURSOS DE OUTROS CUSTEIOS E CAPITAL (OCC) ORIUNDOS DAS UNIDADES DO EXÉRCITO BRASILEIRO SEDIADAS NO MUNICÍPIO

UM ENFOQUE NO LOCAL DE DESTINO DOS EMPENHOS

  • DANIEL ARRUDA CORONEL Professor Adjunto do Departamento de Ciências Administrativas e dos Programas de Pós-Graduação em Administração e em Gestão de Organizações Públicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é bolsista de produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), diretor da Editora da UFSM; editor associado da Revista Ciência Rural; acadêmico da Academia Santa-Mariense de Letras (ASL); membro do Comitê Assessor da área de Economia e Administração da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), Secretário do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria e parecerista de periódicos internacionais e nacionais. Foi coordenador substituto do Curso de Administração da UFSM (2011-2012); diretor da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (2013-2015). É doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); mestre em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bacharel em Administração pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) (CRA-RS, Registro: 047444) e em Ciências Econômicas pela UFSM (CORECON-RS, Registro: 7811). Suas pesquisas e orientações são na área de Economia Internacional, Administração Pública e Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise Econômica Brasileira; Política Industrial e de Comércio Internacional; Métodos Quantitativos e Projetos de Investiment
  • Tomé de Souza UFSM
Palavras-chave: Orçamento Público. Desenvolvimento Local. Restos a Pagar.

Resumo

O presente estudo buscou verificar se os recursos públicos destinados a outros custeios e capital (OCC) que ingressaram por intermédio do Exército Brasileiro, através de suas Unidades Gestoras (UG) sediadas em Santa Maria, foram efetivamente empenhados e executados em empresas do município ou se eles foram gastos em empresas de outros municípios. É importante lembrar que, no caso específico de Santa Maria-RS, que possui uma das maiores universidades do país, o segundo maior contingente militar do Brasil, além de outros diversos órgãos federais, esses recursos são estratégicos para a economia do município. Somando-se a isso, a cidade possui um baixo nível de industrialização, o que torna mais crucial esse tipo de recurso. O trabalho realizado revestiu-se de paradigma positivista, com método quantitativo, pois tratou-se de fenômeno observável e mensurável. Além disso, é uma pesquisa descritiva, pois descreve o comportamento dos fenômenos, além de ser indutiva, onde a teoria se forma a partir da observação da realidade empírica. O estudo é aplicado, pois tem objetivo de gerar conhecimento para resolução de problemas específicos. Neste sentido, verificaram-se todas as notas de empenho emitidas pelas Unidades Gestoras (UG) de todas as Organizações Militares (OM) do Exército Brasileiro sediadas no município, o que resultou aproximadamente 25 mil empenhos, a fim de analisar o destino desses recursos e seus impactos em Santa Maria, bem como mensurar as perdas ocasionadas pela sua evasão. Observou-se que, de todos os recursos que ingressaram em Santa Maria, no período estudado, por intermédio das organizações militares do Exército Brasileiro a título de OCC, cerca de um quarto deles permaneceram em empresas do município, o que representou 0,214% do PIB do município. Enquanto isso, cerca de três quartos desses recursos foram empenhados e gastos em outros municípios, o que representou uma evasão de cerca de 0,552% do PIB do município

Biografia do Autor

{$author}, Professor Adjunto do Departamento de Ciências Administrativas e dos Programas de Pós-Graduação em Administração e em Gestão de Organizações Públicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é bolsista de produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), diretor da Editora da UFSM; editor associado da Revista Ciência Rural; acadêmico da Academia Santa-Mariense de Letras (ASL); membro do Comitê Assessor da área de Economia e Administração da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), Secretário do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria e parecerista de periódicos internacionais e nacionais. Foi coordenador substituto do Curso de Administração da UFSM (2011-2012); diretor da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (2013-2015). É doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); mestre em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bacharel em Administração pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) (CRA-RS, Registro: 047444) e em Ciências Econômicas pela UFSM (CORECON-RS, Registro: 7811). Suas pesquisas e orientações são na área de Economia Internacional, Administração Pública e Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise Econômica Brasileira; Política Industrial e de Comércio Internacional; Métodos Quantitativos e Projetos de Investiment
Professor Adjunto do Departamento de Ciências Administrativas e dos Programas de Pós-Graduação em Administração e em Gestão de Organizações Públicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é bolsista de produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), diretor da Editora da UFSM; editor associado da Revista Ciência Rural; acadêmico da Academia Santa-Mariense de Letras (ASL); membro do Comitê Assessor da área de Economia e Administração da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), Secretário do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria e parecerista de periódicos internacionais e nacionais. Foi coordenador substituto do Curso de Administração da UFSM (2011-2012); diretor da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (2013-2015). É doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); mestre em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bacharel em Administração pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) (CRA-RS, Registro: 047444) e em Ciências Econômicas pela UFSM (CORECON-RS, Registro: 7811). Suas pesquisas e orientações são na área de Economia Internacional, Administração Pública e Financeira, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise Econômica Brasileira; Política Industrial e de Comércio Internacional; Métodos Quantitativos e Projetos de Investiment
{$author}, UFSM

Oficial do Exército Brasileiro, Mestre em Gestão de Organizações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria (PPGOP). E-mail: tome_souza@yahoo.com.br.

Publicado
2021-10-18