UMA ANÁLISE DO ELEMENTO TRÁGICO NO CONTO ÚLTIMO CAPÍTULO DE MACHADO DE ASSIS

  • Lou Guimarães Leão Caffagni Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação.
Palavras-chave: Filosofia, Trágico, Machado de Assis, Último Capítulo.

Resumo

Neste artigo, analisamos a dimensão filosófica e trágica do conto Último Capítulo, de Machado de Assis. O conto é escrito como se fosse o bilhete de um suicida. Matias Deodato, o narrador-suicida é um caipora, termo jocoso para designar um sujeito desafortunado, ingênuo, incapaz de conduzir o próprio destino. O bilhete póstumo consiste em uma nota autobiográfica que tem, por objetivo explicar um testamento mirabolante que ao leitor somente é desvelado no desfecho do texto. Sublinhamos em nossa leitura uma série de elementos que se repetem na obra machadiana: a incapacidade do herói em interpretar os sinais do destino; a natureza maliciosa da vida; a aceitação da natureza trágica da existência; o elogio cínico ao brilho e às aparências; o uso estilístico de referências cultas para “traduzir” eventos banais; e a relação entre escrita e morte. Discutimos algumas das principais influências filosóficas de Machado de Assis, em especial os autores Schopenhauer e Maquiavel. Também analisamos a perspectiva trágica adotada por Machado de Assis em algumas de suas outras obras do mesmo período. Apresentamos a leitura trágica que Rogério de Almeida faz das obras da fase madura de Machado de Assis e mostramos que, em Último Capítulo, o autor desenvolve uma perspectiva do trágico que destoa da perspectiva adotada durante a maior parte de sua obra. Concluímos que, a pesar de suicida, Matias Deodato percebe, no fim de sua existência, que a vida não passa de banalidade e que a suprema felicidade está nas aparências: “a felicidade é um par de botas”.

Biografia do Autor

{$author}, Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação.
Lou Caffagni graduou-se em Filosofia em 2009, defendeu sua dissertação de mestrado sobre as medidas socioeducativas e a filosofia de Michel Foucault em 2012. Desde 2013 está no doutorado,  estudando a influência dos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattari no campo da filosofia da  educação.
Publicado
2016-05-06
Seção
Ensaios