CUIDADO RELACIONAL NO CONTEXTO DA COVID-19:

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA AUTONOMIA PROFISSIONAL PARA ENFERMEIROS

  • Antonio Marcos Tosoli Gomes uerj
  • Karen Paula Damasceno dos Santos Souza Souza uerj
  • Ellen Márcia Peres uerj
  • Norma Valéria Dantas de Oliveira Souza uerj
  • Helena Ferraz Gomes uerj
  • Eloá Carneiro Carvalho uerj
  • Bruna Maiara Ferreira Barreto Pires uerj
  • Magno Conceição das Merces UNEB
  • Pablo Luiz Santos Couto UNEB
Palavras-chave: Autonomia profissional, Infecção por coronavírus, Representações sociais, Cuidado de enfermagem

Resumo

Este trabalho objetiva analisar as representações sociais da autonomia profissional para enfermeiros, diante da conjuntura pandêmica da COVID-19. Estudo de cunho descritivo e exploratório, de natureza qualitativa, fundamentado teórico e metodologicamente nas abordagens processual e estrutural da Teoria das Representações Sociais (TRS). Participaram 75 enfermeiros, provenientes das regiões norte, metropolitana, centro-sul, médio paraíba e baixada litorânea do estado do Rio de Janeiro, entre os meses de junho e setembro de 2020. O levantamento de dados ocorreu pelo Google Forms através de um questionário sociodemográfico, um instrumento de coleta de evocações livres ao termo indutor “autonomia profissional do enfermeiro frente à COVID-19” e à uma pergunta aberta concernente ao enfermeiro no contexto da COVID.  A análise dos dados foi realizada pelo software Iramuteq, sendo realizadas as análises prototípica, de similitude e método de Reinert. Destaca-se a centralidade da palavra conhecimento, com maior frequência e, portanto, com caráter consensual mais ressaltado, tendo 20 participantes evocado essa palavra que compõem o núcleo central do quadro de quatro casas. A análise de similitude reforça a centralidade desta palavra, que se apresenta entre dois eixos léxicos distintos: insegurança e biossegurança. Com relação aos conteúdos processuais, a reconstrução sociocognitiva da autonomia para os enfermeiros é elaborada a partir do conhecimento, o qual se configura na tensão entre o saber e o fazer, contudo, o saber é determinante para uma atuação autônoma. Considera-se que as representações sociais da autonomia profissional para enfermeiros expressa a complexidade deste momento pandêmico, acentuando o valor do conhecimento na relação teoria-prática.

Biografia do Autor

Antonio Marcos Tosoli Gomes, uerj

Professor titular da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Brasil.

 

Ellen Márcia Peres, uerj

Professora associada da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Brasil.

Norma Valéria Dantas de Oliveira Souza, uerj

Professora titular da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Brasil.

Helena Ferraz Gomes, uerj

Professora assistente da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Brasil.

Eloá Carneiro Carvalho, uerj

 Professora adjunta da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Brasil.

Bruna Maiara Ferreira Barreto Pires, uerj

Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) do Departamento de Enfermagem Médico-cirúrgico da área de enfermagem clínica.

Magno Conceição das Merces, UNEB

Professor Assistente do Departamento de Ciências da Vida e do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus I, Brasil.

Pablo Luiz Santos Couto, UNEB

Professor substituto do departamento de Educação, CAMPUS XII da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Bahia, Brasil. 

Publicado
2021-10-18
Como Citar
Tosoli Gomes, A. M., Souza, K. P. D. dos S. S., Peres, E. M., Oliveira Souza, N. V. D. de, Gomes, H. F., Carvalho, E. C., Barreto Pires, B. M. F., das Merces, M. C., & Couto, P. L. S. (2021). CUIDADO RELACIONAL NO CONTEXTO DA COVID-19:: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA AUTONOMIA PROFISSIONAL PARA ENFERMEIROS. Diálogos Interdisciplinares, 10(1), 152-171. Recuperado de https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/1118