Avaliação do Grau acidificante dos Alimentos: Consequências na Saúde Infantil

  • Roseli Aparecida Gonçalves Gracia de Oliveira Centro Universitário Braz Cubas
  • Tatiana Santiago
Palavras-chave: Alimentação acidificante infantil. Dieta alcalinizante. Potencial Carga Renal.

Resumo

Resumo

Introdução: Foi desenvolvido um método por Remer e Manz (1994) conhecido como PRAL (Potencial de Carga ácida Renal), que avalia o efeito acidificante e alcalinizante dos alimentos no organismo. Os alimentos que liberam precursores ácidos após o metabolismo são: o fósforo e as proteínas e os nutrientes precursores alcalinizantes são: cálcio, magnésio e potássio.  Foi realizado um estudo no site SISVAN (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional) no qual avaliou grupos de alimentos consumidos pelas crianças por região do Brasil. Objetivo: Analisar o valor do PRAL (Potencial Renal Acid Load) da dieta consumida pelas crianças de 2 a 9 anos, baseado nos dados do SISVAN, 2020 e 2021. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa analítica exploratória, na qual foi pesquisado no site do SISVAN, o consumo alimentar infantil, por região do Brasil nos anos de 2020/ 2021 e pesquisa em artigos científicos. Resultados: A pesquisa apresentou elevado consumo de ultraprocessados pelas crianças entre 2 a 9 anos em todas as regiões do Brasil. Discussão: A diminuição no consumo de alimentos alcalinos pelas crianças de 2 a 9 anos em 2021 em relação a 2020, agravou-se ainda mais com o aumento no consumo de alimentos ultraprocessados, evidenciando dessa maneira uma alimentação acidificante em todas as regiões do Brasil.  Conclusão: Este estudo mostrou que a dieta infantil no ano de 2020 e 2021 em todas as regiões do Brasil, caracterizou-se como acidificante. Portanto, se não houver políticas de orientações nutricionais, futuramente essas crianças poderão desenvolver doenças crônicas não transmissíveis.

Publicado
2023-07-13
Como Citar
Oliveira, R. A. G. G. de, & Santiago, T. (2023). Avaliação do Grau acidificante dos Alimentos: Consequências na Saúde Infantil. Diálogos Interdisciplinares, 14(3), 317-328. Recuperado de https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/1367

Most read articles by the same author(s)