USO DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO

  • Edilene Sanchez Baptista Universidade Braz Cubas

Resumo

[1]O USO DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO

*Edilene Sanchez Baptista

 

 

 

RESUMO

Este artigo tem como objetivo demonstrar como a utilização da estratégia de contação de histórias pode ser um ótimo recurso psicopedagógico interventivo no atendimento de crianças com dificuldade de aprendizagem. Dentro do consultório psicopedagógico, acreditamos que a contação de história é um recurso valioso para a mediação pedagógica, pois do ponto de vista educacional e interacionista consideramos que o psicopedagogo é um mediador entre o conhecimento e o aluno. A tradição oral, neste estudo chamada de contação de histórias, é um hábito muito importante para a cultura de um povo, através dela é possível identificarmos os valores e os costumes deste povo, também podemos estabelecer uma relação afetuosa onde haja entrega e ressignificação. Este estudo vem demonstrar o quanto o uso desta estratégia contribui para a construção de uma relação afetiva entre o psicopedagogo e a criança, ratificando conceitos de pensadores tanto da área educativa quanto da psicologia. Por muitos séculos o contador de histórias foi o responsável em transmitir os valores, crenças e até a história propriamente dita, com a utilização da escrita, esse importante papel ficou restrito a folcloristas, historiadores e a profissionais que se utilizam do espaço educativo. Esse estudo vem trazer uma nova possibilidade de trabalho interventivo ao psicopedagogo, uma vez que nem sempre este profissional é pedagogo também, logo, justificamos a importância deste artigo para que profissionais envolvidos no aprendizado de alunos possam utilizar-se do recurso de contar histórias para criar não só um ambiente acolhedor, bem como, um momento de construção de conhecimento através do afeto.

 

 

Palavras-chave: Contação de histórias, afetividade, intervenção psicopedagógica

 

 

ABSTRACT

This article aims to demonstrate how the use of the storytelling strategy can be a great interventional psychopedagogical resource in the care of children with learning difficulties. Within the psychopedagogical practice, we believe that storytelling is a valuable resource for pedagogical mediation, since from an educational and interactionist point of view, we consider that the psychopedagogue is a mediator between knowledge and the student. Oral tradition, in this study called storytelling, is a very important habit for the culture of a people, through which it is possible to identify the values ​​and customs of this people, we can also establish an affectionate relationship where there is delivery and resignification. This study shows how much the use of this strategy contributes to the construction of an affective relationship between the psycho-pedagogue and the child, ratifying concepts of thinkers in both the educational area and psychology. For many centuries the storyteller was responsible for transmitting values, beliefs and even history itself, with the use of writing, this important role was restricted to folklorists, historians and professionals who use the educational space. This study brings a new possibility of intervention to the psychopedagogue, since this professional is not always a pedagogue as well, so we justify the importance of this article so that professionals involved in student learning can use the story telling feature to create Not only a welcoming environment, as well, a moment of building knowledge through affection.

 

 

 

Key words: Storytelling, affectivity, psychopedagogical intervention

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[1] Artigo apresentado ao Curso de Especialização em Psicopedagogia da Universidade Braz Cubas - UBC, como requisito parcial à obtenção do título de especialista em Psicopedagogia em janeiro de 2017, sob orientação da Profa. Mestre Luciana Rossato

Publicado
2017-09-06