POR UMA RESISTÊNCIA CULTURAL À ONDA NEOPENTECOSTAL

DA BAIANA DO ACARAJÉ AO BOLINHO DE JESUS

  • Lais Vieira Viajante de Lima Barbosa UMC - Universidade de Mogi das Cruzes
  • Felipe Fernandes de Brito Universidade de Mogi das Cruzes
  • Cristina Schmidt Silva Portéro Universidade de Mogi das Cruzes

Resumo

RESUMO: Este artigo tem como objetivo tratar da importância do alimento como fator cultural, além de considerar os desdobramentos que tornaram a baiana do acarajé e o acarajé patrimônio imaterial frente à onda neopentecostal, bem como verificar a necessidade de políticas públicas cada vez assertivas que visem à preservação cultural de comunidades tradicionais.

 

ABSTRACT: This article aims to address the importance of food as a cultural factor, in addition to considering the developments that have made the acarajé woman and the acarajé intangible heritage against the neopentecostal wave, as well as verify the need for assertive public policies aimed at cultural preservation of traditional communities.

 

PALAVRAS-CHAVE: acarajé; baiana do acarajé; cultura; alimento; neopentecostal.

 

KEY-WORDS: acarajé; acarajé woman; culture; food; neopentecostal.

 

 

 

 

 

Biografia do Autor

{$author}, UMC - Universidade de Mogi das Cruzes

Especialização em Especialização pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil(2013)
DIRETOR DE ESCOLA da Prefeitura Municipal de Suzano , Brasil

{$author}, Universidade de Mogi das Cruzes

Felipe Brito é jornalista com experiência profissional em assessoria de imprensa. Coordenou a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de São Paulo, de 2013 até o final do primeiro semestre de 2015. Trabalhou na assessoria de imprensa da Parada do Orgulho LGBTQ de São Paulo. É diretor do movimento de combate à intolerância religiosa As Águas de São Paulo desde de 2007. Mora em Poá há 25 anos e é bolsista CAPES do Programa de Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes.

{$author}, Universidade de Mogi das Cruzes

Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), e mestre em Teoria e Ensino da Comunicação pela UMESP (Universidade Metodista de São Paulo).
É jornalista, graduada pela Metodista, com atuação no ensino, na pesquisa, na assessoria de imprensa.
Pesquisadora e sócio-fundadora da Rede Folkcom Rede Brasileira de Estudos e Pesquisas em Folkcomunicação, vinculada a Cátedra UNESCO/Metodista, coordenou o Grupo de Pesquisa em Folkcomunicação da Intercom.
É professora nos cursos de Comunicação e Design, bem como professora e Coordenadora do Mestrado em Políticas Públicas da UMC (Universidade de Mogi das Cruzes - SP), é pesquisadora no GRUPPU - Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas na UMC como bolsista Faep.
Atua também como professora e coordenadora do Curso de Administração na Faculdade Bertioga. Consultora ad hoc do INEP/MEC, e parecerista em revistas científicas na área da comunicação.
Tem experiência em Coordenação de Cursos: Jornalismo, Publicidade, Radialismo, Fotografia e Administração; e em desenvolvimento de projetos pedagógicos e culturais.
Têm diversos artigos publicados, capítulos de livros, livro e organização de coletânea na área da comunicação e diversidade cultural.
Atua principalmente nas áreas de: comunicação social, folkcomunicação, diversidade cultural, mídia regional e local, turismo, patrimônio imaterial, e políticas públicas culturais.

Publicado
2017-12-17