GESTÃO EDUCACIONAL NAS CLASSES HOSPITALARES

Palavras-chave: Inclusão Escolar. Necessidades Educativas Especiais. Atendimento Educacional Especializada. Pedagogia. Educação.

Resumo

O presente artigo explora a questão da gestão democrática nas classes hospitalares. Com a criação de um modelo de escola hospitalar para melhoria do atendimento às crianças, jovens e adultos que se encontram em tratamento médico prolongado, advém a necessidade organizar a atuação pedagógica nesse ambiente e no atendimento pedagógico domiciliar para que se atinja uma qualidade na educação, suplantando a ideia de que seu papel seja apenas um paliativo.  Através de uma revisão bibliográfica do tipo narrativa, buscou-se artigos publicados em revistas científicas sobre a gestão educacional, a legislação brasileira vigente que dão respaldo a gestão democrática, buscando a descrição de um modelo de gestão para educação nesses ambientes. Apresentamos uma visão para o município de Mogi das Cruzes no estado de São Paulo. Concluiu-se que é possível a adoção de um modelo de gestão de escola hospitalar atuando por região, gerindo os recursos humanos e os recursos financeiros através de um projeto político pedagógico desenvolvido por uma gestão central nas regiões pertencentes a uma Diretoria de Ensino.

Biografia do Autor

Hamilton de Oliveira Telles Junior

Licenciado em Psicologia pela Universidade Braz Cubas (UBC); graduado em Pedagogia pela UCCB, Especialista em Educação pela UFLA; mestre em Políticas Públicas pela UMC

{$author}, Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano do Sul

Universidades Metodista – São Paulo – SP – Brasil. Especialista em Educação. Docente nos cursos de graduação e pós-graduação na FAPSS de São Caetano do Sul.

{$author}, Universidade Mogi das Cruzes

Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) – Mogi das Cruzes - SP – Brasil. Departamento de Pós-Graduação em Políticas Públicas. Professora pesquisadora na linha de Políticas Culturais, Diversidade e Cidadania. E-mail: rosalia.prados@gmail.com

Publicado
2018-11-22