POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE PARA AS JUVENTUDES NO BRASIL E EM PORTUGAL

  • Eliana Perez Gonçalves de Moura Universidade Feevale
  • Silvia Zuffo Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul http://orcid.org/0000-0001-6124-5552
Palavras-chave: Biopolítica, Juventudes, Saúde, Políticas Públicas, Estado.

Resumo

O presente artigo aborda as políticas públicas voltadas às juventudes no Brasil e em Portugal. No Brasil analisou-se o Programa de Saúde na Escola e, em Portugal, debruçou-se sobre políticas públicas de saúde esparsas, geralmente, implementadas no âmbito do sistema público de educação. Sob inspiração foucaultiana, buscamos problematizar os mecanismos por meio dos quais ambos Estados nacionais operam ações normalizadoras sobre as juventudes, ao executarem políticas de “promoção” à saúde pelo viés de “orientações no cuidado do corpo” que visam ao controle da sexualidade. Em ambos contextos, existem sinais de rupturas, evidências de que adolescentes e jovens buscam abrir frestas dentro de um emaranhado de prescrições normativas e formatadoras. Apesar das diferenças, em comum entre as juventudes brasileiras e portuguesas destacam-se suas escolhas por investir em formas alternativas de produção de suas existências. 

Biografia do Autor

{$author}, Universidade Feevale

Docente do Programa de Pós-Graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social na Universidade Feevale/Brasil. 

{$author}, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

 Docente dos cursos de administração e tecnólogos, e analista de educação e negócios no Sebrae/RS. Bacharel em Administração e Mestre em Diversidade Cultural e Inclusão social

Publicado
2019-12-10