A A INTERDISCIPLINARIDADE E O PROCESSO FORMATIVO ESCOLAR PARA ALÉM DA POLARIZAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA I

  • Rogério Rodrigues Universidade Federal de Itajubá
Palavras-chave: Educação. Ensino. Interdisciplinaridade. Competência Técnica.

Resumo

Para a elaboração deste estudo, partiu-se do pressuposto de que, no atual cenário econômico e social, a formação científica encontra-se, basicamente, constituída na separação entre a teoria e a prática, e isso define toda a lógica educativa instrumental. Em decorrência desse fato, o nosso objetivo foi analisar o processo formativo nas contradições que mantêm o sujeito no senso comum científico, pautado na ciência neutra, limitando os sujeitos à condição de especialistas na competência técnica. A nossa pergunta central busca compreender outras possibilidades de ensino do especialista, no sentido de ampliar o conhecimento no campo da interdisciplinaridade, principalmente, em outras formas de relações na transmissão do saber científico, de forma a resultar na ruptura do senso comum científico na separação entre teoria e prática para o estado de crítica no saber fazer e pensar na unidade no campo da ciência. O método utilizado baseia-se proposição investigativa da teoria crítica (Filosofia da Educação) que serviu de eixo para analisar a prática educativa. Para tanto, procedeu-se a uma revisão bibliográfica que fundamenta a referida análise. Conclui-se que, ao se pensar o processo formativo, dever-se-ia encontrar elementos que possam romper com a concepção da competência neutra do especialista para constituir o sujeito reflexivo no saber fazer científico com a técnica comprometida, principalmente, no trabalho do pensamento crítico para além da polarização entre teoria e prática.

Publicado
2019-12-13