Representações sociais de jornalistas sobre o papel da mídia e sua relação com o processo penal

  • Phablo Freire Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco (FACESF)
  • Gustavo de Oliveira Nunes Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (FACAPE)
Palavras-chave: Representações Sociais, Mídia, Direito Penal, Processo Penal, Sensacionalismo

Resumo

Na sociedade contemporânea a mídia se faz cada vez mais presente nas diversas interações do cotidiano, informando a população, continuamente, acerca dos acontecimentos mais relevantes. Nesse sentido interessa ao Direito identificar como essa atuação midiática pode interferir na produção das decisões judiciais ou mesmo na produção dos sentidos socialmente partilhados sobre o Direito Penal, criminalidade, segurança pública e temas correlatos. Neste diapasão, objetiva a presente pesquisa identificar e analisar as representações sociais de jornalistas do município de Petrolina-PE sobre o papel da mídia na formação da opinião pública e sua relação com o processo penal. No tocante ao método, a pesquisa se caracteriza como qualitativa, localizada na vertente jurídico-sociológica do tipo jurídico-descritiva. Para levantamento dos dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas, aplicando-se a técnica de análise de conteúdo temático. Concluiu-se, a partir dos dados coletados e analisados, a existência e difusão de sentidos que indicam a presença do elemento sensacionalista na atuação midiática, a percepção da notícia como produto comercializável e a ciência acerca de potenciais riscos na produção e atuação jurisdicional penal pela interferência da opinião pública, marcada por tais excessos.

Biografia do Autor

{$author}, Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco (FACESF)

Professor universitário, advogado, Doutorando em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), Mestre em Psicologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Pós-graduado em Gestão Pública pela Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (FACAPE) e em Direito Constitucional Aplicado pela Damásio Educacional e Docente do Colegiado de Direito da Faculdade de Ciências Humanas e Exatas do Sertão do São Francisco (FACESF) e da Pós-Graduação em Direito e Processo Civil pela Centro Universitário Maurício de Nassau Petrolina-PE (UNINASSAU).

Publicado
2020-05-23

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##