ESTUDO DA SUBJETIVAÇÃO E INSTITUCIONALIZAÇÃO DOS CORPOS NA OBRA ROUTLEDGE HANDBOOK OF PHYSICAL CULTURAL STUDIES

  • João Paulo Marques Universidade Estadual de Maringá
  • Ariane Boaventura da Silva Sá Universidade Estadual de Maringá
  • Larissa Michelle Lara Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: corpos, cultura física, subjetivação, institucionalização, fisicalidade

Resumo

O artigo apresentado a seguir explora problemáticas relacionadas ao corpo na abordagem conhecida como Physical Cultural Studies (PCS), e tem como objetivo analisar o envolvimento dos diferentes tipos de corpos e de sujeitos com a cultura física, especialmente a partir das temáticas da subjetivação e da institucionalização corporal. Orientam o desenvolvimento dessa pesquisa incursões teóricas e analíticas realizadas por duas partes da coletânea Routledge Handbook of Physical Cultural Studies, organizada por Silk, Andrews e Thorpe (2017), as quais tratam especificamente dos corpos subjetivados e institucionalizados na relação com a cultura física. Essas duas partes são compostas por quinze capítulos, organizados por pesquisadores vinculadas a diversas universidades ao redor do mundo. As análises desses capítulos apontam para relações de força e de poder que estruturam nossa sociedade como espaço em que as concepções de corpo são frequentemente confrontadas por símbolos, valores, conhecimentos, discursos e práticas, fortemente marcados por essas relações. As discussões propostas neste artigo apontam para confrontos que moldam e codificam os corpos em meio a essas relações, produzindo, assim, subjetividades e comportamentos específicos a partir de aspectos da fisicalidade dos sujeitos, os quais passam a ser interpelados por marcadores sociais. É, nesse sentido, que propomos as discussões deste artigo, buscando promover reflexões criticamente voltadas às conjunturas em que ocorrem tais confrontos, às estruturas sociais e simbólicas que configuram e às instituições que colocam em funcionamento nas relações culturais físicas. Visamos, por meio dessas reflexões, contribuir para olhares ampliados sobre o corpo, interpelando a esfera política e simbólica de suas relações.

Biografia do Autor

João Paulo Marques, Universidade Estadual de Maringá

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Graduado em Licenciatura em Educação Física pela mesma instituição. É pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/DEF/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/PLE/UEM/CNPq).

Ariane Boaventura da Silva Sá, Universidade Estadual de Maringá

Mestre e Doutoranda em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL, na área de concentração Práticas Sociais em Educação Física, e professora graduada em Licenciatura Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). É pesquisadora integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/DEF/UEM/CNPq).

Larissa Michelle Lara, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação e Mestre em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas. É professora Associada no Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e docente no Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM-UEL. Líder do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/DEF/UEM/CNPq).

Publicado
2021-10-18
Como Citar
Marques, J. P., Sá, A. B. da S., & Lara, L. M. (2021). ESTUDO DA SUBJETIVAÇÃO E INSTITUCIONALIZAÇÃO DOS CORPOS NA OBRA ROUTLEDGE HANDBOOK OF PHYSICAL CULTURAL STUDIES. Diálogos Interdisciplinares, 10(1), 11-31. Recuperado de https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/961