A PERCEPÇÃO DO FISIOTERAPEUTA SOBRE SUA AUTONOMIA NO MANEJO DO CUIDADO DOS PACIENTES COM SDRA

  • Taiani Aparecida Souza Universidade do Vale do Itajaí
  • Fabíola Hermes Chesani Universidade do Vale do Itajaí

Resumo

O fisioterapeuta que atua na UTI deve ter autonomia para realizar suas funções. Analisar os benefícios e riscos potenciais, compreender a condição clínica do paciente, os objetivos traçados pela equipe multiprofissional, as competências e limitações envolvidas em cada estratégia de cuidado. Este estudo objetivou analisar a percepção do fisioterapeuta sobre sua autonomia no manejo do cuidado dos pacientes com diagnóstico de SDRA. Trata-se um estudo de caráter qualitativo, intervenção, exploratória e de campo, realizada com 12 fisioterapeutas de quatro UTIs localizadas em Santa Catarina. A Coleta dos dados ocorreu por meio de uma entrevista semiestruturada no período de junho de 2018 e junho de 2019. A categorização e analise textual foi realizada através do software Iramuteq, através do qual foram selecionados dois temas principais que possibilitou a construção do Dendograma de Similitude. No Tema 1-Autonomia do profissional fisioterapeuta no tratamento da pessoa com SDRA, as palavras destacadas no Dendograma foram: “médico”, “fisioterapeuta”, “não”, “ventilação”, “autonomia”, “paciente”. Já no Tema 2-Relação dialógica com a equipe multiprofissional, as palavras que mais de destacaram foram: “médico”, “paciente”,“ fisioterapeuta”, “estar”, “não” e “sempre”. Ao final do estudo conclui-se que apesar dos profissionais fisioterapeutas relatarem possuir autonomia no manejo do cuidado dos pacientes diagnosticados com SDRA, alguns somente desenvolviam seu trabalho após o parecer ou aprovação do profissional médico. O que não se caracteriza como uma tomada de decisão da equipe multiprofissional, pois, esta se dá por meio de um diálogo horizontal, coerente e organizado onde todos os profissionais da equipe possam contribuir.

Biografia do Autor

Fabíola Hermes Chesani, Universidade do Vale do Itajaí

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal de Santa Maria (1996). Mestre em Saúde e Gestão do Trabalho na Universidade do Vale do Itajaí. Concluí doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou doutorado sanduíche na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Porto com bolsa CAPES. Professora titular da Universidade do Vale do Itajaí nos cursos de Fisioterapia e Programa de Pós -Graduação em Saúde e Gestão do Trabalho na Univali. É pesquisadora e líder do grupo GEVAS na Univali. Avaliadora de cursos e instituições do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e MEC

Publicado
2021-10-18
Como Citar
Souza, T. A., & Chesani, F. H. (2021). A PERCEPÇÃO DO FISIOTERAPEUTA SOBRE SUA AUTONOMIA NO MANEJO DO CUIDADO DOS PACIENTES COM SDRA. Diálogos Interdisciplinares, 10(1), 248-262. Recuperado de https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/981