CARACTERÍSTICAS DO INDIVÍDUO PSICOPATA

  • Simone Ferreira Genovez Centro Universitário Brazcubas
  • Luís Sérgio Sardinha Centro Universitário Brazcubas
  • Valdir de Aquino Lemos Centro Universitário Brazcubas
Palavras-chave: Psicopatia, Psicodiagnóstico, Transtornos mentais

Resumo

Pessoas que cometem atos criminosos são chamadas, pela sociedade e pela mídia, sem nenhum diagnóstico prévio realizado por um profissional, de psicopatas. A psicopatia é um transtorno mental, nem sempre de fácil diagnóstico, pois suas características não são totalmente estabelecidas pela ciência. O objetivo do estudo é verificar quais são as características de personalidade do indivíduo psicopata. O método utilizado foi o de revisão bibliográfica. Foram utilizados trabalhos encontrados nas bases de dados Medline, Scielo e Google Acadêmico, publicados entre 1990 a 2018. Ao todo são 15 referências, sendo dez artigos científicos, três livros e duas teses. Os principais resultados apontam que os psicopatas apresentam características do comportamento que podem ser desencadeadas já na infância, mas o diagnóstico só deve ocorrer após o indivíduo atingir 18 anos. Alguns autores entendem que o indivíduo considerado psicopata apresenta características semelhantes aos indivíduos com Transtorno de Personalidade Antissocial (TPAS). Os autores consultados apontam que o indivíduo, portador de psicopatia, é extremamente sedutor e busca ser atraente, podendo parecer, num primeiro momento, mais inteligente que a média da população, pois é autoconfiante em suas palavras, possui egoísmo exagerado, incapaz de seguir um plano de vida, tendendo a ter uma vida sexual desenfreada. Deste modo, para o psicopata não importam as consequência de seus atos, não existe medo e nem sentimento de culpa. Em geral as características sociais e psicológicas que evidenciam o perfil dos psicopatas são: charme superficial, aparente inteligência, pouca vivência de emoções, desconfiados com o meio em geral, desleais, não sofrem com delírios ou outros sinais de pensamento desorganizado, são incapazes de sentir remorso ou compaixão pelo alheio, incapazes de aprender com as experiências vividas, falta de qualquer afeição mais profunda em relação a pessoas ou animais. Nem sempre cometem crimes mais graves, pois podem apresentar estas características sem, necessariamente, envolver-se me delitos mais severos. Não existem marcadores biológicos claramente especificados na literatura. As conclusões são que o indivíduo com psicopatia pode ser entendido como um sujeito com certas características sociais e psicológicas definidas, mas sem um marcador biológico. Podem viver em sociedade sem que, necessariamente, lhes seja atribuído um diagnóstico preciso, pois ele pode apresentar estas características, sem se envolver em atos criminosos mais cruéis.

Palavras-chave: Psicopatia; Psicodiagnóstico; Transtornos mentais

Biografia do Autor

{$author}, Centro Universitário Brazcubas

Bacharelando no Curso de Psicologia. Centro Universitário Braz Cubas.

{$author}, Centro Universitário Brazcubas

Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo, Brasil(2011).
Coordenador e Docente do curso de Psicologia do Centro Universitário Brazcubas – Mogi das Cruzes. Docente junto à Universidade do Grande ABC, UniABC, Santo André.

{$author}, Centro Universitário Brazcubas

Orientador Metodológico e Docente do Curso de Psicologia do Centro Universitário Braz Cubas - Mogi das Cruzes - SP. Doutorado em Psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo, Brasil (2016). Pesquisador do Comitê Paralímpico Brasileiro, Brasil. E-mail: aquino.lemos@terra.com.br

Publicado
2019-06-08

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>